sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

SÃO BENTO: Rock embala campanha de Sócio-Torcedor

2017 foi um lindo para o nosso querido E. C. São Bento, com a conquista do tão sonha acesso à Série B do Brasileirão.

Para repetir o sucesso, o clube aposta no crescimento também fora de campo. Novos patrocinadores, novo fornecedor de material esportivo (a espanhola JOMA), nova sede e até uma cerveja oficial do clube.

Para aproveitar esse grande momento, o clube espera também aumentar o seu quadro de sócios-torcedores. Por isso, tem rolado nas rádios locais um jingle rock'n'roll convocando os sorocabanos a apoiarem o clube aderindo a um de seus planos de sócio.

Confira o jingle no player abaixo:

Lembramos que os sócios-torcedores do clube tem ingresso para TODOS os jogos do clube em casa, descontos em produtos do clube e que após um ano pode participar das eleições do clube.

Para maiores informações:
http://www.sociobentao.com.br/

Veja também:
PINTOU O CAMPEÃO: nova música em homenagem ao E. C. SÃO BENTO

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

COPA DO MUNDO 2018: conheça uma banda de cada país participante


De vez em quando nos deparamos com um post que gostaríamos de ter escrito. 

É o caso desta postagem feita no site Whiplash. Mateus Ribeiro, o autor dessa pesquisa que merece todo o crédito, garimpou uma banda de cada um dos 32 países participantes da Copa do Mundo 2018. 

Tarefa hercúlea que pode ser conferida no link abaixo (spoiler: o Brasil é representado pela banda CLAUSTROFOBIA):

Veja também:

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

GEORGE BEST e THE BEATLES



A ilustração acima é uma daquelas que aparecem em suas redes sociais e alegram o dia. Nela vemos o folclórico craque do Manchester United e típico rockstar dos gramados GEORGE BEST com ninguém menos que seus contemporâneos de Liverpool em uma de suas mais famosas fotos.
Caso você, jovem Padawan, não saiba quem foi George Best, aqui vão dois exemplos de sua sabedoria milenar em duas de suas mais conhecidas citações:

“Em 1969, eu abri mão de mulheres e bebidas e foram os piores 20 minutos da minha vida”.

“Gastei muito dinheiro em bebida, mulheres e carros rápidos. O resto eu desperdicei."
O vídeo abaixo ajuda a entender porque Best era cultuado a ponto de ter em sua homenagem um dos trocadilhos mais marotos do futebol ("Maradona, good; Pelé, better; George Best):
Agora se por ventura você não sabe quem foram os Beatles, faça-nos o favor de voltar para o seu planeta. Você não é bem-vindo por aqui!

Veja também:
Pelé, o quinto Beatle?

domingo, 7 de janeiro de 2018

RITA LEE 70 anos

No dia 31 de dezembro de 2017 a cantora RITA LEE completou 70 anos de vida.

Um pouco atrasada, é verdade, mas aqui fica nossa homenagem àquela que é sem dúvidas a maior figura feminina do rock brasileiro.

Assim escolhemos 7 canções uma para cada década vivida pela nossa "rainha do rock". Tarefa difícil, afinal, são mais de 20 álbuns de estúdio somente em sua carreira solo. Confira:

Ando meio desligado

A voz doce da jovem Rita Lee em uma das melhores canções dos Mutantes registrada no álbum "A Divina comédia" (1970):


Esse tal de Rockenrou

Da obra-prima "Fruto Proibido" (1975), um dos melhores discos do Rock Br:


Jardins da Babilônia 

Do disco "Babilônia" (1978), último a trazer a parceria com a banda Tutti-Frutti:

Lança Perfume

Do álbum homônimo de 1980. Talvez o maior hit de Rita Lee, tornando-se sucesso internacional:


Agora só falta você

O disco "Acústico MTV" (1998) revigorou a carreira de Rita Lee fazendo que uma nova geração conhecesse seus sucessos, como essa música originalmente do disco "Fruto Proibido":

Tudo vira bosta

Irreverência foi uma marca registrada desde o tempo de Mutantes. E fazer um título desses, do disco "Balacobaco" (2003), virar um refrão grudento e comercialmente aceitável não é pra qualquer um:

Post também publicado no site Tricolor on the Rock!

Veja também:
RITA LEE: Uma Autobiografia (review)

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

ZAKK WYLDE toca hino norte-americano em jogo da NBA

No primeiro grande momento rocker esportivo de 2017, o guitarrista ZAKK WYLDE fez valer o ingresso de quem foi ver a partida entre CHICAGO BULLS e TORONTO RAPTORS pela NBA. O guitarrista tocou o hino nacional norte-americano. A performance pode ser conferida abaixo:
Os Raptors parecem ter se inspirado com o Hino e venceram os donos da casa. Placar final Bulls 115 x 124 Raptors.

Veja também:

Nashville: capital da música e do soccer

domingo, 24 de dezembro de 2017

CACÁ BARROS: versão metal de JINGLE BELLS

O nosso amigo e super guitarrista CACÁ BARROS reuniu um time de colaboradores internacionais para uma versão metal de JINGLE BELLS capaz de derreter o Pólo Norte e fazer o Papai Noel  sair por aí tocando Air guitar em seu trenó. Confira:

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Natal Rock'n'Roll: 10 músicas para animar seu Natal

Cansado de ouvir Simone e sua intragável canção natalina (John Lennon deve se remexer no túmulo quando chega dezembro...), entre outros 'clássicos' desta época? Então eis uma seleção de versões mais animadas de músicas conhecidas e canções autorais que vão da celebração ao protesto. Divirtam-se e um natal rocker a todos!

1. Paul Di'Anno (ex-vocalista do Iron Maiden): Another rock'n'roll Christmas 



2. Alice Cooper: Santa Claus is Coming To Town



3. Skid Row (com Johnny Solinger nos vocais): Jingle Bells (Rock'n'Roll Mix) 


4. Lemmy Kilmster (Motorhead): Run, Run Rudolph



5. Twisted Sister: Come ya all the Faithfull


6. The Ramones: Merry Christmas (I don't Wanna Fight Tonight)



7. AC/DC: Mistress for Christmas


8. The Ravers: Punk Rock Christmas


9. Garotos Podres: Papai Noel Velho Batuta



10. The Kinks: Father Christmas


Veja também:
O Natal de Alice Cooper

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Nashville: capital da música e do soccer

Nashville, capital do Tennessee nos Estados Unidos, é conhecida como a "Cidade da Música", em especial da música country. Mas a partir de 2018 terá mais um motivo para se orgulhar.

É que a cidade terá o seu representante na Major League Soccer, dentro do excêntrico sistema de "franquias" da Liga profissional norte-americana.

Seattle, a "capital do grunge", já obteve bastante sucesso em temporadas recentes da MLS. Vamos ver se Nashville vai ter a mesma sorte ou se além das habituais dores de cotovelo seus compositores terão que lamentar em suas canções as derrotas do time local.

Veja também:
MLS: vocalista do RANCID é torcedor fanático do SAN JOSE EARTHQUAKES

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Resenha: SÓCRATES - Biografia

Como não vi Sócrates jogar, para mim ele sempre foi o irmão mais velho de Raí, terror do Morumbi e, junto com Zetti, grande ídolo futebolístico de minha infância.


Mas com o tempo veio a curiosidade de entender porque o "Doutor Sócrates" exerceu, e ainda exerce, tanto fascínio nos afficionados por futebol, sejam eles corintianos ou não.

Nesse sentido, a biografia escrita pelo jornalista Tom Cardoso é um excelente e didático guia.

Das origens humildes de sua família e seu estabelecimento em Ribeirão Preto, passando pelo início de carreira no Botafogo local, o que inclui antológicos "mim acher" no próprio pai, ao desenvolvimento de sua trajetória no Corinthians e na Seleção Brasileira (e também o fiasco no futebol italiano), o livro aborda de forma bastante clara e fluida os principais pontos que convergiram para que Sócrates se tornasse um ícone do nosso esporte favorito.

Estão lá todas as polêmicas e contradições do craque: o jogador que não soube ser atleta, o médico que não cuidou da própria saúde, o criador da "democracia corintiana" admirador da esquerda mais extrema a ponto de batizar um de seus filhos de Fidel. 

Sem muita especulação, vemos um retrato bastante fidedigno de Sócrates, com depoimentos de pessoas que conviveram com ele e de trechos de uma autobiografia não acabada.

De quebra, ainda temos insights diversos sobre um período crucial de nossa história, com a redemocratização do país e seus dilemas, é uma nova luz sobre outras figuras importantes do nosso esporte, como o próprio Raí, Casagrande, o mestre Telê Santana, entre outros. 

Com isso, o autor escapou da armadilha do clubismo e criou uma obra que pode ser facilmente digerida por todos aqueles que gostam de pensar o jogo além das quatro linhas.

Veja também:

Resenha: Guia Politicamente Incorreto do Futebol

Nem tanto um guia, nem tão politicamente incorreto assim. Mas um ótimo compêndio de curiosidades sobre diversos aspectos do futebol.


Organizado em capítulos independentes, o livro vai de Charles Miller a Lionel Messi, com o intuito de desconstruir e desmistificar fatos, craques e cartolas do passado e do presente. 

Há algumas bobagens e exageros como uma defesa de Galvão Bueno (nossa, que politicamente incorreto!) e um capítulo "enaltecendo" Ricardo Teixeira por ter dado o mínimo de organização ao futebol brasileiro.

Mas também há muitas verdades, como o interessantíssimo capítulo sobre o Racismo no futebol brasileiro e o capítulo que discute o início do futebol no Brasil.

A maior polêmica talvez seja a de colocar a Seleção Brasileira de 94 como a mãe do tic-taca do Barcelona e da Seleção Espanhola, tese sustentada com estatísticas surpreendentes.

Como o livro foi escrito antes da Copa de 2014, não temos um capítulo sobre o 7x1, que seria um prato cheio para as discussões aqui propostas.

De qualquer modo, os autores Jones Rossi e Leonardo Mendes Júnior tiveram o brilhantismo de pincelar temas interessantes e destrinchá-los de forma bastante original, fazendo deste um dos livros mais legais sobre futebol a ocupar espaço aqui na minha prateleira.

Veja também:
Resenha: Sócrates - biografia

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

CASAGRANDE: Filme e Ópera-Rock inspirados na vida ex-jogador

O folclórico ex-jogador e comentarista Casagrande viveu uma vida desregrada quando atleta e suas peripécias continuam a render, como informa a nota do site Whiplash que reproduzimos abaixo:

“Walter Casagrande Júnior foi o jogador e é o comentarista mais rock’n’roll da história do futebol brasileiro”. A frase do publicitário Washington Olivetto está na biografia do ex-jogador, lançada em 2013, que vai virar filme e ópera-rock. A ideia do filme é do ator José Loreto. "Ele leu o livro, ficou empolgado e quis conhecer o Casa e eu. Depois de um tempo, falou que a obra daria um filme e que ele queria fazer o papel do Casagrande", conta o autor da biografia "Casagrande e Seus Demônios", o jornalista e escritor Gilvan Ribeiro.
O filme deve ser lançado em 2018, e a ópera-rock ficará por conta do músico Arrigo Barnabé. "É uma conversa bem antiga e que voltou a caminhar recentemente", conta Gilvan, que explica ainda que o único requisito exigido por Casagrande é que o roteiro do filme ficasse por conta de seu amigo Marcelo Rubens Paiva.

domingo, 3 de dezembro de 2017

O pior Brasileirão de todos os tempos?

Campeonato decidido. Corinthians campeão com méritos. E, a não ser que você seja corintiano, é provável que a sensação de ter testemunhado o pior brasileirão dos pontos corridos é grande.

Times de alto investimento entregaram campanhas pífias. É o caso de Palmeiras, Atlético Mineiro e Flamengo de quem se esperava muito mais. 

O que dizer do São Paulo? Belo time no papel mas precisou estar com a corda no pescoço para jogar algo parecido com o futebol. A se comemorar apenas as grandes atuações de Hernanes que merece todas as premiações possíveis. Esperamos que Tite tenha a decência de convocá-lo para a Copa, nem que seja para compor o grupo. 

O Grêmio campeão da Libertadores não pode ser considerado decepção, mas é evidente que seu desinteresse pelo Brasileirão foi importante para não termos uma reta final mais competitiva.

Santos foi pelo mesmo caminho, mas foi tão incompetente que chega a dar pena.

Fechando a leva dos desinteressados, temos o Cruzeiro ganhou a Copa do Brasil mas se contentou em ser um coadjuvante no Brasileirão.

Equipes de quem não se esperava tanto entregaram menos ainda: Fluminense, Atlético Paranaense e Botafogo estão nesse grupo. 

Dentre as equipes valentes, temos o Vasco, que aos trancos e barrancos vai fez uma campanha digna e a Chapecoense, que se restabeleceu após sua tragédia, ambos chegando à desejada Libertadores.

Avaí e Atlético Goianiense mostraram muito pouco e vão ter que juntar seus cacos na Série B. 

A briosa mas instável Ponte Preta enfiou-se onde não devia e vai fazer o dérbi com o Guarani.

O Sport reagiu nas últimas rodadas e com a garra nordestina se segurou na elite.

Uma menção honrosa vai para o Bahia, uma grata surpresa que foi um dos times mais vibrantes do campeonato e que mereceria uma chance na Libertadores.

Calendário esquisito, troca de técnicos, péssimo planejamento, medalhões cansados, falta de ambição e competitividade. Tudo isso contribuiu para uma percepção negativa da nossa principal competição. 

Nem o campeão passou ileso com seu tortuoso segundo turno. 

Em 2018 teremos a atenção dividida com a Copa do Mundo. Mais um fator para contribuir com o baixo nível do campeonato? A perspectiva não parece muito animadora. 

Mas pelo menos espero que tenhamos mais times com vontade legítima de vencer. Caso contrário, é melhor mesmo acompanhar divisões inferiores, onde pelo menos não há tanto comodismo.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Futebol e Rock'n'Roll: o time do coração de alguns Rockstars

Como sabem, sempre publicamos curiosidades sobre rockstars que não escondem sua paixão futebolística. Para quem não tem paciência de vasculhar nossos arquivos, eis aqui uma listinha compilada pelo site Whiplash que revela o time de alguns famosos rockers tupiniquins (alguns deles, in memoriam): 

ATLÉTICO-MG:

Paulo Jr. (Sepultura)
Haroldo Ferreti (Skank)
Fernanda Takai (Pato Fu)
Lelo Zaneti (Skank)
Wilson Sideral

CORINTHIANS:
Andre Matos
Badauí (CPM 22)
Charles Gavin (Titãs)
Dinho (Mamonas Assassinas)
Jão (Ratos de Porão)
Rita Lee

CRUZEIRO:

Henrique Portugal (Skank)
Mauricio Nastácia (Tianastácia)
Samuel Rosa (Skank)

FLAMENGO:
Roberto Frejat (Barão Vermelho)
Canisso (Raimundos)
Fê Lemos (Capital Inicial)
Léo Jaime
Marcelo D2 (Planet Hemp)
Rodolfo (ex-Raimundos)
Guto Goffi (Barão Vermelho)
Flavio Lemos (Capital Inicial)
Herbert Vianna (Paralamas do Sucesso)
Digão (Raimundos)
Rodrigo Santos (Barão Vermelho)
Marcelo Yuka (F.U.R.T.O)
Paula Toller (Kid Abelha)
Fernando Magalhães (Barão Vermelho)
Bi Ribeiro (Paralamas do Sucesso)
Peninha (Barão Vermelho)

FLUMINENSE:
Evandro Mesquita (Blitz)
Serguei
Paulo Ricardo (RPM)
Toni Platão
Cícero Pestana (Dr. Silvana e cia)
Dado Villa Lobos (ex-Legião Urbana)
João Barone (Paralamas do Sucesso)

GRÊMIO:

Humberto Gessinger (Engenheiros do Hawaii)
Lucas Paraíba (Fresno)

INTERNACIONAL:
Beto Bruno (Cachorro Grande)
Carlos Matlz (ex-Engenheiros do Hawaii)

PALMEIRAS:
Igor Cavalera (Cavalera Conspiracy)
Bento Hinoto (Mamonas Assassinas)
Andre Jung (Ira!)
João Gordo (Ratos de Porão)
Hugo Mariutti (ex-Shaaman)
Branco Mello (Titãs)
Max Cavalera (Cavalera Conspiracy)
Ricardo Gaspa (Ira!)
Yves Passarell (Capital Inicial)
Derick Green (Sepultura)

SANTOS:
Paulo Miklos (Titãs)
Supla
Toni Bellotto (Titãs)
Kiko Zambianchi
Sergio Britto (Titãs)
Chorão (Charlie Brown Jr.)

SÃO PAULO:
Andreas Kisser (Sepultura)
Nasi (ex-Ira!)
Samuel Reoli (Mamonas Assassinas)
Marcelo Fromer (Titãs)
Dinho Ouro Preto (Capital Inicial)
Luis Mariutti (ex-Angra e ex-Shaaman)
Edgard Scandurra (Ira!)
Sergio Reoli (Mamonas Assassinas)
Nando Reis (ex-Titãs)
Roger Moreira (Ultraje A Rigor)

VASCO DA GAMA:
Marcelo Camelo (Los Hemanos)
Erasmo Carlos
Fred (ex-Raimundos)
Celso Blues Boy
Jimmy (Matanza)